Sementes de Girassol

Porque há um cansaço,
que não sabes de onde vem,
abatendo tua alma?

Por que há um vazio dentro de ti,
uma escuridão,
um desânimo?

Porque não há motivos,
nem sentido para qualquer sorriso?

A depressão te rouba a motivação,
o vírus nascido em tua mente se espalha,
não te deixas tomar qualquer decisão.

Tique-taque infinito e preciso,
o relógio pendurado na parede da sala.
Tua vida apenas minutos passados pelas horas.
Tua mente cheia de confusões e conflitos.
Teu mau humor aumentando.
Tua vida se apagando.
Teu corpo adoecendo.

Poucas vezes te sentistes alguém,
pensas que és ninguém.
Como chama assoprada de uma vela,
tu serás.

E quem se importa?
Não faz diferença.
Te isolastes do mundo,
Achastes que ele sentiria tua ausência.
Ele continua girando,
nem tomou conhecimento de ti.
Nem ele, nem ninguém,
nem mesmos as pessoas secas.

Embriagar-te-á?
Te tornarás doentio,
em hábitos infames e sem valor?
Perderás o emprego enfadonho,
e o dinheiro vil?
Perderas a alegria de viver,
e o sorriso que movimenta teu rosto?
O que mais pretendes perder?

Não te importas nada,
Nem ninguém,
Nem tua vida.
Achas.

Quando partires não saberão das tuas lágrimas
derramadas em choros desconhecidos.
Não ouvirão a tua voz, nem teus lamentos.
Desconhecerão tuas noites às claras
a olhar para o nada e para dentro de si,
sem encontrar a solução.

Se deixares uma carta explicando tuas dores,
deixarás apenas palavras.
Ninguém sentirá o que sentes agora.
Ninguém entenderá, nunca.

Serás passado.
Enterrado abaixo de sete palmos,
cremado ou como for.
Serás lembrança para uns,
soprar de vento para outros.

Demência,
loucura,
insanidade.
A teu respeito é o que dirão.
Quem se lembrará de ti?
Quem se importará de se lembrar?

Solução?
Para quem?
Porquê?
Onde?
Qual?

Imperdoável,
insondável,
incurável,
intocável.
Porque o que vês não é real.
Simplesmente queres ver.

Não é preciso mais do que tens para viver.
A loucura existe somente em tua mente.
Comas semente de girassol e sejas feliz!

Tenhas dignidade pelo menos.
As roupas vestem teu corpo,
os sapatos calçam teus pés.
Torças o nariz contra tua condição.
Tu não és um andarilho pobretão.
Insistirá em manter-te em sofreguidão?

A dor não desaparecerá.
Suporte.
Tolere.
Lute!
Sorria.

Levantes teu corpo,
venças a batalha,
conquistes a vitória!
Em tua própria homenagem te faças um busto.

Tu és o único que podes.
É tua, a vida.
E tua, a dor.

Esqueças o passado dissimulado, pesado.
Teu desgosto é uma mágoa não curada.
Teu arrependimento é remorso.

Ainda que te custes,
reconheças e aceites:
Comas semente de girassol e sejas feliz!

Estou sempre alegre. Essa é a melhor maneira de resolver os problemas da vida.
Charles Chaplin