Permitindo ser feliz

Realmente fui pego por uma loucura, uma irracionalidade, uma falta de vergonha na cara e passei a agir de modo que não seria possível para um cara tão sério como eu.

Saí do padrão rígido, imposto por mim mesmo, ao meu modo de viver e resolvi sorrir mais, brincar mais, falar besteiras antes nunca ditas e arriscar nas coisas que desejava (ainda que houvesse medo).

Não virei a cabeça completamente porque isto seria impossível diante do meu carácter.
Apenas me permiti ser feliz, olhando para mim sem os receios dos meus próprios julgamentos.